Mensagem do Sinédrio-Dia do Holocausto

 Participe do Grupo no Facebook e acompanhe as publicações
 Grupo no WhatsApp Web: chat.whatsapp.com
 
Foto:Imagem da Internet, pode ter direitos autorais - reprodução 

 

Sinédrio envia mensagem no dia Internacional do Holocausto

 

Assim julgará entre as nações e fará arbitragem para os muitos povos, e eles converterão suas espadas em arados e suas lanças em ganchos de poda: Nação não tomará Espada contra nação; Nunca mais conhecerão a guerra”. Isaías 2: 4 (The Israel Bible ™)

O sinédrio nascente – assim denominado por estar emergindo até a chegada do Messias. Fez uma declaração sobre o dia Internacional do Holocausto, conclamando as nações do mundo sobre as Nações Unidas, como o pior defensor do antissemitismo.

A declaração assinada pelos membros do Sinédrio, os sacerdotes, afirma:

O tema do Holocausto toca uma profunda cicatriz na psique humana coletiva, relacionada a uma época em que grande parte da humanidade agiu de maneira esquizofrênica.

Em vez de agir como um meio de unidade e cura, as Nações Unidas se tornaram a organização central do mundo para a disseminação do antissemitismo. É impensável, mas a organização que reagiu aos horrores da Segunda Guerra Mundial ao ajudar na criação do moderno Estado de Israel está agora ativamente negando a conexão histórica entre os judeus e sua terra natal, dada a eles por Deus, conforme registrado na Bíblia. É o direito inato do povo judeu a ser uma nação sagrada, uma nação separada. Rejeição do estado de todos os seus cidadãos na melhor das hipóteses e a destruição de Israel como um estado e um povo na história. É tristemente irônico que foi a ONU que estabeleceu o Dia Internacional do Holocausto apenas alguns anos atrás.

A ONU agora defende a eutanásia e o aborto como direitos humanos. Esta é uma refutação das leis de Noé que incumbem a toda a humanidade que proíbe o assassinato. Em essência, isso é idêntico aos alemães que lidaram com a eutanásia em larga escala também pelo que eles acreditavam ser o bem da humanidade, e está em contraste direto com o princípio básico de que cada ser humano é igual aos olhos de Deus. Um dos estandartes das nações iluminadas na Europa, que estão atualmente agindo em direção à própria morte existencial, bem como o desaparecimento de sua cultura e sua religião, é a abolição da soberania e do governo em benefício dos refugiados. Eles acreditam na abolição das fronteiras, inundando o mundo com refugiados e destruindo países e culturas. Eles fazem isso pelo que eles chamam de "valores humanísticos":

O Tribunal Sanhedrin chama do Monte Sião, conclamando as setenta nações a se unirem para refutar isso. Para fazer isso, eles precisam se fortalecer na Bíblia que emana do Monte Sião. As nações são chamadas a tomar o seu lugar, para acompanhar a Deus, de acordo com a aceitação das leis da Bíblia e do seu espírito como o espírito do direito internacional.

Para tornar esta iniciativa conhecida e real nas mentes dos homens, o Sinédrio emitiu uma moeda para estabelecer este chamado para as nações se reunirem em Sião. A moeda apresenta Nikki Hailey , a ex-embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, que permaneceu firme durante todo o seu mandato como um farol de verdade até que ela se demitisse das Nações Unidas.

O Sinédrio recomenda que as nações estabeleçam uma nova organização de “setenta nações” de acordo com o espírito da Bíblia. Essa organização aceitará a singularidade do povo judeu com base em nosso papel bíblico como Luz para as Nações e não identificará o povo judeu unicamente com base na memória do Holocausto. Esta "narrativa de vítima" não serve para os judeus como um povo. Embora o remorso e a contrição sejam atos admiráveis e dignos para o indivíduo, é basicamente destrutivo identificar uma nação inteira como a eterna vítima.

A prova disso é que as Nações Unidas, apesar de reconhecer o genocídio perpetrado contra os judeus, apoiam um acordo com o Irã que lhes permite continuar na produção de armas de destruição em massa com o único propósito de destruir o povo judeu.

Este chamado para se unir em prol da preservação universal e do bem de toda a humanidade já foi respondido, assinado por representantes oficiais dos estados da Guatemala, Honduras e México. Apelamos a todos os estados e todas as comunidades étnicas e a todos os indivíduos, independentemente de religião, raça ou sexo, para que assinem esta carta no site do Sinédrio.

 

Original em Inglês: Adam Eliyahu

Tradução Português: Logostheos e Seguidores do Evangelho